Congada de Monte Alegre
Divulgação

Congada de Monte Alegre

Congada de Monte Alegre fez sua estreia no XI Encontro de Culturas. Os 12 congadeiros vestidos de branco, azul e vermelho, são liderados pelo encarregado Mauro Ílson Francisco Régis, de 39 anos, organizados em duas filas. O guia, Seu Manuel Quirino dos Santos, de 65 anos, puxava a cantoria em homenagem a Nossa Senhora do Rosário, e os demais o acompanhavam, marcando o ritmo batendo os cambitos (baquetas), um contra o outro.

A Congada de Monte Alegre faz parte da Festa do Reinado, realizada todo dia 23 de julho na pequena cidade do interior de Goiás. Registros apontam que os festejos começaram há 273 anos, mas, no entanto, não se sabe como a festa foi criada.

 

Conta Mauro Ílson que “A tradição mesmo eu não sei falar. Tem 25 anos que eu trabalho com eles, até mais que isso. Eu comecei a pular congada com eles eu tinha 17 anos. O parceiro que comandava nós era o Zé Xavier do Bonfim, ele faleceu. E antes dele falecer, quando ele adoeceu, ele passou pra mim tomar de conta. Então, eu não sei falar”,

 

O guia Seu Manuel já pula congo há quase 40 anos. Quando eu entrei nessa brincadeira eu devia ter uns 26 anos, pra quem já tá com 65, né?. comentou.

 

Homem devoto, o congadeiro contou que já pensou em largar a congada várias vezes, devido às dificuldades que enfrentam.

 

Os que me ensinaram não existe mais nenhum. E eu tava quase parando, mas peço Nossa Senhora do Rosário para me dar saúde e força pra continuar. Eu continuo rodando com fé, que eu tenho fé mesmo. Já tava quase pedindo licença a Nossa Senhora do Rosário e pulando fora, mas ela me dá força e coragem e eu vou rompendo, continuou.

A Festa do Reinado costuma atrair turistas para o município. Os festejos são organizados pelos festeiros, que sorteiam o rei e a rainha a cada ano. Além disso, cavalaria, congada, escravos, damas e carruagens também integram a festa.

 

Primeiramente, nós arrumamos. Depois, os cavaleiros. A gente sai da minha casa e pega a sussa, que vai atrás de nós. Nós vamos pra rua pra procurar a rainha. Quando a gente acha o rei, para, ele sobe na carruagem e a gente continua procurando a rainha, esclareceu Mauro.

O encarregado contou ainda que todas as vestimentas são escolhidas pela rainha. E, sendo assim, mudam a cada ano. Durante a festa ocorre também a distribuição de farofa e refrigerante na porta da igreja. E logo após a Festa do Reinado, ocorre o Reinado da Cachaça, festa profana que segue o festejo religioso.

A Congada, ou dança dos Congos, teve sua origem na história da poderosa rainha africana Njinga, de Angola, morta em 1663. Consiste num culto festivo para Nossa Senhora do Rosário, protetora dos negros, repetido anualmente com comida farta, bebida e música. Seu roteiro ritual inclui a coroação do rei e da rainha do Congo. É realizada em muitos municípios do estado de Goiás.

artistas e grupos similares
Congo de Nossa Senhora do Rosário

Congo de Nossa Senhora do Rosário

[»]

Conhecer »
Associação de Bandas de Congo de Cariacica

Associação de Bandas de Congo de Cariacica

A Associação de Bandas de Congo de Cariacica conta com nove grupos dos bairros Roda D’ [»]

Conhecer »
Terno de Moçambique do Capitão Júlio Antônio

Terno de Moçambique do Capitão Júlio Antônio

Liderados pelo Capitão Julio Antônio, os mineiros do Terno de Moçambique de Perdões se [»]

Conhecer »