Silvan Galvão
Elena Mocaggatta

Silvan Galvão

O percussionista, cantor, compositor e pesquisador de Santarém (PA) Silvan Galvão desenvolve um trabalho baseado nos ritmos regionais amazônicos, como o carimbó, marabaixo, batuque e o lundum marajoara, explorando uma linguagem universal nos arranjos,  e inserindo-os assim no contexto contemporâneo.

No início da carreira Silvan acompanhou como percussionista grandes artistas da Amazônia, como o violonista Sebastião Tapajós,  Pinduca e Nilson Chaves, e fez disso sua escola. Participou como produtor musical de grandes festivais regionais como o Festival “Çairé de Alter do Chão” e  “Festribal” de Juruti.

Há 4 anos Silvan Galvão vem se dedicando ao seu trabalho autoral. Lançou o 1º CD em 2013, “Segredos Amazônicos”, todo instrumental, com participação de Sebastião Tapajós. O CD deu origem ao DVD homônimo gravado na praça do Mirante em Santarém.

Em 2014 Silvan passou a mesclar música instrumental e canção, e alternar residência entre Santarém e Rio de Janeiro. No Rio, com o intuito de divulgar seu trabalho e a música amazônica, criou o projeto “Puxirum”, um baile dançante onde se apresenta ao vivo acompanhado de sua banda, mesclando o trabalho autoral com músicas de Pinduca, Dona Onete, Mestre Verequete, entre outros ícones da música popular amazônica. No “Puxirum” Silvan recebe vários convidados, entre DJs, cantores e instrumentistas cariocas e nortistas.

Em 2016, Silvan Galvão lança pelo selo Ná Music, e com patrocínio do Banco da Amazônia, o segundo CD, “Tambores que Cantam” com canções autorais, e o videoclipe da faixa “Puxirum”. No mesmo ano,  ganha o título de Mestre de Carimbó pela região do oeste do Pará.


Silvan Galvão  já esteve no festival “Tapajazz”(PA), Sesc Boulevard (PA), “Festival Arte Pública”, “Sesi in Jazz Festival”, “Festival Nacional de Cultura Popular da UFF”, “Festival Sotaque Carregado”, “Festival Rio Afora”, Circo Voador, Sala Baden Powell, Sesc Tijuca, Parque das Ruínas,  Sesc Ramos, Centro Cultural da Justiça Fedeal, e em várias casas noturnas  cariocas onde já realizou a Festa Puxirum (Centro Cultural Carioca, Espaço Multifoco, Arco do Teles, Gafieira Moderna, etc...)

Pesquisa / oficinas

Silvan Galvão também é pesquisador e realiza um importantíssimo trabalho didático. Em 2008/09 viajou pelo Norte/Nordeste do país, interagindo com diversas manifestações tradicionais do Pará, Tocantins, Pernambuco, Amazonas, Maranhão e Amapá. Ampliou sua pesquisa se deslocando-se também para países sul-americanos (Peru, Bolívia e Uruguai).

A partir de suas pesquisas Silvan Galvão passou a ministrar a “Oficina de Ritmos Tradicionais Amazônicos”, que já foi realizada na Universidade Estadual do Pará, no Parque Anhembi –Salão do Turismo (SP) , no Fórum Social Panamericano (Santarém-PA) , no Encontro Nacional do SBPC  (Oriximiná-PA), na Associação Folclórica Boi Bumbá Garantido (Parintins - AM), no XXV Fladem – Seminário Latino americano de Educação Musical (RJ), no Conservatório Brasileiro de Música (RJ), e no Festival Nacional de Cultura Popular da UFF (RJ), onde participou também como palestrante.

As oficinas deram origem ao seu mais novo projeto didático, inaugurado em 2015, a oficina permanente “OPÃ – Orquestra de Percussão Amazônica” que está sendo desenvolvido na conceituada Escola de Percussão Maracatu Brasil.


artistas e grupos similares
Flautins Matuá

Flautins Matuá

O Grupo Pífanos Flautins Matuá apresenta o show “Fuá na Cidade” e a intervenção “Fuá”, durante o XII Encontro de Cultu [»]

Conhecer »
Camerata Caipira

Camerata Caipira

Variada é a formação musical, versátil e colorida é a performance. Utilizando-se da viola caipira, cavaquinho, e violões de [»]

Conhecer »
Irmãs Freitas

Irmãs Freitas

[»]

Conhecer »