Elomar
Marcelo Scaranari

Elomar

-

Elomar é compositor e cantor com voz possante e com grande capacidade de expressar o conteúdo de suas canções e operetas.

Nasceu na Bahia em 1937 e estudou arquitetura e música em Salvador.

Na década de 60 e em 1973 gravou o disco Das Barrancas do Rio Gavião. No início dos anos 80 passou a se dedicar mais à música do que à arquitetura construindo tempo para se dedicar a compor e a tocar em shows, feiras e praças as suas cantorias e seus autos influenciados pela tradição ibérica e árabe que a colonização portuguesa levou ao Nordeste brasileiro. Seu estilo de tocar violão exige freqüentes alterações na afinação do instrumento e, também por isso, Elomar é conhecido no universo violeiro.

Desde 1975 tem se apresentado cantando solo ou com orquestras, quintetos, quartetos e outras formações sinfônicas. Em1986 foi convidado para representar o Brasil no Festival Ibero-Americano na Alemanha e ali foi também convidado pelo governo a gravar o seu trabalho que resultou no LP Dos Confins do Sertão, que recebeu um prêmio internacional da crítica alemã.

Além do cancioneiro, que conta com mais de 80 composições, Elomar é dono de uma extensa obra culta, com concertos, óperas, peças para violão solo, antífonas e galopes estradeiros. Esses são sinfonias concisas feitas em três movimentos que sugerem ao ouvinte o percurso de um cavaleiro pelas estradas do sertão, alternado pelo ritmo do cavaleiro. A música imita o movimento do cavaleiro na estrada. Esses galopes estradeiros foram gestados pelo desejo do compositor de levar a música clássica às novas gerações.

O álbum Consertão é resultado de uma das parcerias com Arthur Moreira Lima em 1982. Gravado ao vivo na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, tem no repertório, obras de Waldir Azevedo, Villa-Lobos e do próprio Elomar. Essa gravação teve participações especiais do saxofonista e clarinetista Paulo Moura e do violeiro Heraldo do Monte. 

 

A Fantasia Leiga para um Rio Seco é o primeiro registro sinfônico de Elomar. Inicia-se com uma "Incelença para a Terra que o Sol matou", e assim segue com a Tirana, Parcela, Contradança e AmarraçãoEssa obra foi gravada em 1981 com Lindenbergue Cardoso à frente da Orquestra Sinfônica da Bahia.

Gravou em 1990 o festejado disco Elomar em Concerto, acompanhado pelo Quarteto Bessler-Reis.

Figura lendária da música popular brasileira, e sua meta é levar a ópera para o povo que ele diferencia da massa de população consumidora dos produtos da indústria cultural. É através do dialeto sertanez e da figura do catingueiro, do habitante das caatingas, que ele canta as vicissitudes humanas. Avesso à exposição na mídia para divulgação do seu próprio trabalho, prefere a vida reclusa da fazenda, longe das grandes metrópoles, criando bodes e carneiros.

Sua ópera foge do padrão europeu, e opta pelo dialogo com as histórias do sertão, do sertanejo e de seus dramas. Cantando e compondo sobre as vidas freqüentemente fadadas a desgraça da seca e da miséria, Elomar atribui novos valores à opera brasileira.

 

artistas e grupos similares
Orquestra Popular Menino de Ceilândia

Orquestra Popular Menino de Ceilândia

A Orquestra Popular Menino de Ceilândia é um dos projetos encabeçados pelo Ponto de Cul [»]

Conhecer »
Juraíldes da Cruz

Juraíldes da Cruz

O tocantinense Juraíldes da Cruz é um ícone da música regional. Com mais de 35 anos de estrada, o músico começou tocando em f [»]

Conhecer »
A Barca

A Barca

A BARCA é um grupo paulista que pesquisa gêneros tradicionais brasileiros desde 1998. Formado por André Magalhães (bateria e per [»]

Conhecer »